Ponto de Vista II [09.04.12]

alien-floraO impacto fora muito maior do que o calculado. A nave se desestabilizou e permaneceu à deriva no espaço frio e sombrio. Não era para isto ter ocorrido. Não devia terminar assim. O fim havia chegado…

A arma nuclear atravessou a atmosfera espessa de forma lenta e com uma trajetória milimetricamente calculada. Em poucos segundos, uma colossal nuvem de poeira se formou ao redor do globo, dizimando por completo qualquer ser vivo que se encontrasse em seu raio de ação.

Enfrentaram um dilema. A decisão deveria ser tomada em um curto espaço de tempo. O radar já demonstrava uma nova presença: criaturas semelhantes às plantas carnívoras, mas diferentes em seu tamanho e comportamento. A flora ativa do planeta recém descoberto era impressionante. Que tipo de decisão teriam de tomar?

(…)

O que fazer já que os intrusos eram eles? A discussão foi prolongada e exaustiva, mas recolher os minerais era uma questão essencial. De repente, as monstruosas plantas sentiram-se ameaçadas e avançaram contra a equipe, protegendo seu território. Era impossível iniciar a mineração naquele local.

Aquele planeta devia ser deixado em paz. Os eventos provaram que estavam definitivamente no lugar errado. A expedição parecia não acreditar, mas raízes gigantes surgiram do meio do solo. Provavelmente ali havia um gigante adormecido. E, para sua segurança, era melhor que permanecesse assim.

Há muito tempo a humanidade já havia se espalhado pelo sistema solar. Mas sabiam que havia algo de especial naquele ponto brilhante tão longínquo. De onde vinha seu brilho tão singular? A resposta estava em seu subconsciente. Todos permaneceram em silêncio.

Após breves preparativos, partiram em direção ao desconhecido, enquanto deixavam para trás sua terra natal, mesmo que não tivessem consciência disso…

Fim.
Ou início?

——————————————————————-
(Obs.: Agora leia os parágrafos de baixo para cima, e você terá outro ponto de vista, além de outra linha de tempo).
——————————————————————-

Nota: Este conto faz parte de meus “experimentos” misturando conceitos com ficção científica. É bem complicado criar um texto “quase palíndromo” – Palíndromo é a frase ou palavra que mantém o mesmo sentido quando lida de trás pra frente.

Anúncios

Agradeço o comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s